Onde está a felicidade?

Ficarei muito feliz quando alcançar esse objetivo!
Quantas vezes em nossas vidas dizemos essa frase? Será que a felicidade está mesmo lá no fim do caminho? Será que seremos realmente felizes quando alcançarmos o objetivo determinado?

Muitas vezes traçamos metas, definimos estratégias para alcançá-las e concentramos nossas energias para realizar as etapas que nos levem mais perto delas, afinal, tudo o que importa é chegar lá. Como faremos, não interessa. O que sentiremos no percurso, muito menos. Será que é assim que nos realizaremos e seremos felizes?

Recentemente fui a um evento em que o palestrante usou uma excelente comparação para a busca incessante pelo alcance de um objetivo, ele disse que é igual a um cachorro correndo atrás de uma bicicleta, quando ele a alcança fica sem saber o que fazer.

Tenho lido sobre isso, participado de encontros e palestras, assistido a filmes relacionados ao tema e o que consegui colher disso tudo vou compartilhar aqui com vocês.

Timothy Gallwey, escritor norte-americano, considerado o precursor do coaching moderno e responsável pelo desenvolvimento da metodologia The Inner Game – O Jogo Interior, defende que a nossa performance melhora quando estamos em um ambiente que nos permita aprendizado e diversão. Quando a aprendizagem e a diversão são ignoradas, o desempenho será comprometido em longo prazo. Então, para ele, o mais importante é que a trajetória tenha “enjoyment”! Se o caminho não for prazeroso e divertido, de nada adianta chegar ao objetivo.

“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.” Thich Nhat Hanh

Thich Nhat Hạnh, monge budista, pacifista, escritor e poeta vietnamita, acredita que é possível viver feliz no aqui e no agora e perceber os elementos de sua felicidade que já estão disponíveis – e que são mais do que suficientes para sermos felizes –, não precisa correr ao futuro para conseguir mais.

Eckhart Tolle,no livro O Poder do Agora, argumenta que,“…para o ego, o momento presente dificilmente existe. Só o passado e o futuro são considerados importantes. O ego está preocupado em manter vivo o passado, porque pensa que sem ele não seríamos ninguém. E se projeta no futuro para assegurar a continuação de sua sobrevivência e buscar a satisfação lá adiante. Ele reduz o presente a um meio para obter o fim desejado.” Entretanto, ele explica: “O momento presente tem a chave para a libertação. Às vezes o momento presente é inaceitável, desagradável ou terrível. Aceite, depois aja. O que quer que o momento atual contenha, aceite-o como uma escolha sua. Torne-o um amigo e aliado, não seu inimigo. Isso transformará toda sua vida.”

No filme Hector e a procura da felicidade, do diretor Peter Chelsom, o protagonista Hector (Simon Pegg), é um psiquiatra que busca uma resposta mais concreta para o que é a felicidade e parte sozinho para uma viagem pelo mundo. Hector vai preenchendo um caderno com ideias e frases que resumem sua busca pela felicidade. A partir de suas anotações chega-se a um ponto comum, que a felicidade é o que se pode extrair de cada momento específico.

 “Não deveríamos nos preocupar tanto com a busca pela felicidade, mas com a felicidade de buscar.” – diz Professor Coreman, personagem interpretado por Christopher Plummer.

O filme não dá uma resposta sobre o que é a felicidade, nem eu tenho a pretensão de fazer isso aqui. O conceito de felicidade é variável, cada pessoa tem sua própria percepção, que está diretamente relacionada com as experiências pelas quais passou. O que parece ser um consenso entre tudo que vimos aqui é que a felicidade não está em alcançar o objetivo, mas sim no caminho que percorremos, nas experiências que vivemos e, principalmente, no nosso propósito.

Sem propósito nossas vidas seriam iguais a perseguição do cachorro à bicicleta.

Segundo alguns psicólogos, as pessoas que vivem buscando apenas a felicidade são as tomadoras, e têm uma vida relativamente vazia, voltadas para si mesmas e são, muitas vezes, egoístas. Em contraste, pessoas que vivem uma vida com propósitos desfrutam muito mais da alegria de dar para outros e, por consequência, são felizes.

Tenha propósitos e a felicidade virá!